Durante o mês de fevereiro, emissões de títulos superaram o valor dos resgates.

Títulos são emitidos pelo governo para financiar o déficit orçamentário.

A dívida pública federal em títulos – que inclui os débitos do governo no Brasil e no exterior – registrou aumento de 1,22% em fevereiro e atingiu R$ 4,281 trilhões, informou a Secretaria do Tesouro Nacional nesta quarta-feira (25). Em janeiro, a dívida somava R$ 4,229 trilhões. O aumento da dívida pública em fevereiro está relacionado à emissão líquida no valor de R$ 20,16 bilhões, e pela apropriação positiva de juros no valor de R$ 31,33 bilhões. A emissão de papéis pelo governo somou R$ 42,89 bilhões no período.

Já os resgates somaram R$ 22,73 bilhões. A dívida pública é a emitida pelo Tesouro Nacional para financiar o déficit orçamentário do governo federal.

Ou seja, para pagar despesas que ficam acima da arrecadação com impostos e tributos. Dívidas interna e externa Quando os pagamentos e recebimentos são realizados em real, a dívida é chamada de interna.

Quando tais operações ocorrem em moeda estrangeira (dólar, normalmente), a dívida é classificada como externa. Dívida interna: teve aumento de 1,05% em fevereiro e chegou a R$ 4,099 trilhões. Dívida externa: resultado da emissão de bônus soberanos (títulos da dívida) no mercado internacional e de contratos firmados no passado, contabilizou um aumento de 5,23% em fevereiro, para R$ 181,07 bilhões. Compradores Os números do Tesouro Nacional revelam que em fevereiro aumentaram a participação dos investidores estrangeiros e de instituições financeiras na dívida pública interna. Em janeiro, os não residentes no país detinham 10,89% da dívida total, o equivalente a R$ 441 bilhões.

Já em fevereiro essa participação passou para 10,93%, totalizando R$ 448,14 bilhões.

A participação das instituições financeiras passou de 23,71% em janeiro (R$ 962 bilhões) para 24,17%, totalizando R$ 990,86 bilhões. Outros detentores: fundos de investimento (R$ 1,104 trilhão, ou 26,94% do total); fundos de previdência (R$ 1,009 trilhão ou 24,62% do total).