A introdução para o capítulo 11 de Hebreus está no final do capítulo 10, e um apêndice está no capítulo 12, onde se traz a expressão “nuvem de testemunhas” para falar de todos estes ícones da fé no passado a quem somos chamados a imitar sua confiança em Deus em épocas de grande aflição.

Inclusive, aqui é bom que corrijamos a velha e equivocada interpretação que diz que “nuvem de testemunhas” são os ímpios lá fora nos observando.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADEErrado! A “nuvem de testemunhas” de que Hebreus 12.

1 fala são os muitos servos e servas de Deus do passado, tratados no capítulo 11, onde está a famosa “galeria dos heróis da fé”.

E mais, a fé é um ponto importante não só da nossa lição, mas um ponto cardinal de toda a carta aos Hebreus, pois, como vimos, uma tentação corrente entre aqueles irmãos hebreus era retornar ao judaísmo e seu culto formalista e rituais exteriores, quando a fé em Cristo é muito mais interior.

Abandonar a fé para viver de aparência é cair no desprazer de Deus (10.

38).

Apenas ressaltamos, como faz o comentarista da Lição, José Gonçalves, que a FÉ de que vamos falar em Hebreus 11 não é a fé para salvação, mas a fé para preservação nos dias maus, triunfo sobre as aflições e progresso contínuo na comunhão com Deus.

É pela fé que vive o justo (Hb 10.

38), e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé! (1Jo 5.

4).

Anterior1 of 4Próxima*clique em próxima para continuar lendo…