Estudaremos hoje acerca do homem do pecado, o mais terrível ser humano que este mundo conhecerá em toda a sua história.

Através deste estudo, com muitas pinceladas escatológicas, veremos a que nível de degradação espiritual e moral um homem pode chegar quando se entrega totalmente aos poderes satânicos.

Ao final desse estudo, porém, veremos que nem toda maldade humana e nem toda força infernal são capazes de anular o domínio soberano de Deus ou de desfazer seus planos para a humanidade.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADEO homem do pecadoOrigem do Homem do PecadoO homem do pecado (ARC) ou homem da iniquidade (ARA) no texto de 2 Tessalonicenses 2.

3 é uma referência ao líder que assumirá o controle da política mundial (Ap 13.

7) logo após o arrebatamento da Igreja.

Como o arrebatamento é iminente (está perto e pode se dar a qualquer momento – Lc 12.

40; Ap 3.

11), é possível que a pessoa do anticristo já esteja viva, inclusive participando da política internacional; afinal, quando o arrebatamento acontecer, e pode acontecer a qualquer momento, o anticristo já será uma pessoa adulta e bastante instruída em assuntos políticos, econômicos e religiosos, pronta para assumir o comando e encabeçar uma grande rebelião contra Deus.

Embora o governo deste homem iníquo se dará no futuro (“ouvistes que vem o anticristo” – 1Jo 2.

18; “o anticristo…há de vir” – 1Jo 4.

3), o mistério da injustiça que caracterizará este governo já está em operação (2Ts 2.

7); seu espírito já está no mundo (1Jo 4.

3).

Isso porque o aparecimento do homem do pecado é segundo a eficácia de Satanás (2Ts 2.

9), o mesmo Satanás quem vem trabalhando na terra, seduzindo os homens à rebelião contra Deus desde o Éden.

O anticristo será humano (sua etnia/nacionalidade é um mistério, sobre o que se pode apenas especular), mas muitas de suas habilidades, que não serão meros truques, serão “dons” concedidos pelo próprio diabo.

Nas revelações concedidas a João (Ap 13.

4), fica claro que é o dragão (satanás) que dará seu poder à besta (anticristo).

Neste homem, o poder satânico se manifestará em proporções gigantescas tal qual nunca se viu nem nos maiores bruxos e feiticeiros do mundo! Será o que podemos chamar de o maior avivamento infernal na terra! (2Ts 2.

9; Mt 24.

24).

Títulos do homem do pecadoNa Bíblia, quando nomes são atribuídos às pessoas, têm-se em mente muito mais que uma identificação social; especialmente quando é Deus que atribui nomes ou títulos, é a personalidade que ali está sendo projetada neste nome/título.

Veja, por exemplo, os casos de Jacó, a quem Deus chamou de Israel; Abrão, que passou a ser chamado Abraão; ou mesmo Jesus, que recebeu o título de Emanuel.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADETendo isso em mente, listemos alguns dos nomes ou títulos pelos quais o homem do pecado é chamado na Bíblia, especialmente no Novo Testamento, e que revelam seu verdadeiro caráter:… o homem da iniquidade ou o iníquo (2Ts 2.

3,8).

Isso mostra que o homem do pecado não tem respeito pela lei; ele faz as leis e as altera para seu próprio benefício; será um déspota semelhante, porém, ainda pior que o rei francês Leão XIV, que esbravejou “O Estado sou eu!”.

… o filho da perdição (2Ts 2.

3).

Este título ressalta que a despeito de toda arrogância e pretensão deste homem, seu fim já está determinado: perdição.

Não porque Deus tenha incondicionalmente predestinado uma pessoa para ser o anticristo e fazê-la perecer eternamente, mas porque este próprio homem apostatou de Deus, privando-se da graça salvífica e precipitando-se em terrível e irrecuperável pecaminosidade, semelhante a Judas Iscariotes, que também é chamado de filho da perdição (Jo 17.

12).

… o anticristo (1Jo 2.

18,22; 4.

3; 2Jo 1.

7).

É curioso notar que apenas o apóstolo João refere-se ao homem do pecado pelo título anticristo, título esse que pode tanto significar “contrário a Cristo” como “em vez de Cristo”, isto é, aquele que se coloca no lugar de Cristo, um falso Cristo (gr.

pseudocristos).

É preciso ressaltar que o homem do pecado não será necessariamente um ateu, pois o próprio exigirá adoração para si como se fosse Deus (2Ts 2.

4; conf.

Ap 13.

15).

… a besta que emerge do mar (Ap 13.

1-10).

Aqui trata-se de um símbolo da popularidade que o homem do pecado gozará entre os povos (mar na linguagem simbólica do Apocalipse aponta para povos).

Haverá um plebiscito internacional ou um processo eleitoral para eleger este governante? Não o sabemos ao certo, há relativa obscuridade nas profecias bíblicas e só com o desenrolar da história as coisas vão ficando mais claras.

A natureza do homem do pecadoÉ certeza que se trata de um “homem” (gr.

antrophos – 2Ts 2.

3), não de um demônio ou do próprio diabo encarnado – como equivocadamente sugerem alguns intérpretes.

Porém, inequivocamente, este homem será empoderado pelo diabo para realizar coisas maravilhosas, a ponto de passar a receber adoração como se fosse um deus.

Na verdade, o homem do pecado será, como disseram Ice e Demy, a criatura mais iníqua da história![1].

Noutras palavras, será o pior ser humano que já existiu!Ainda que seja impossível para nós hoje saber a sua identidade – e também nem precisamos, já que estamos aguardando o verdadeiro Cristo, não o plágio inventado por satanás! – é possível, à luz da Palavra de Deus, descrevermos a natureza deste homem vil.

Ed Hindson[2], especialista em escatologia bíblica, descreve algumas características do homem do pecado:Intelectualmente poderoso (Dn 7.

20)Orador impressivo (isto é, terá grande eloquência – Dn 7.

20)Mestre político (Dn 11.

21)Possuidor de grandes habilidades comerciais (Dn 8.

25)Gênio militar (Dn 8.

24)Perito administrador (Ap 13.

1-2)Experto em religião (2Ts 2.

4)Anterior1 of 3Próxima*clique em próxima para continuar lendo…