Estudantes da UTFPR desenvolveram um purificador de ar com luz ultravioleta e jogo digital que faz referência ao isolamento social; equipes estão entre 40 finalistas do mundo.

Estudantes de Curitiba são finalistas em competição da Nasa Estudantes da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), em Curitiba, são finalistas em uma competição internacional da Agência Espacial Norte Americana (Nasa).

A disputa tem como desafio encontrar soluções para o enfrentamento do novo coronavírus usando a tecnologia. Os alunos selecionados tiveram 48 horas para elaborar um projeto que ajudasse no combate à Covid-19 com apoio dos arquivos da Nasa, que foram disponibilizado aos estudantes. Mais de 1,3 mil equipes participaram da competição, e os grupos paranaenses são dois dos 40 selecionados no mundo.

Dentre todos os finalistas, seis times serão os vencedores e o resultado sairá em agosto. Uma das equipes da universidade desenvolveu o projeto de um purificador de ar, e a outra criou um jogo que tem como a temática a pandemia do novo coronavírus. CORONAVÍRUS NO PARANÁ: Veja as principais notícias DECRETOS: Veja o que pode abrir e o que deve fechar nas principais cidades BEM AQUI: RPC tem plataforma com estabelecimentos e serviços que estão atendendo Filtro desenvolvido por estudantes purifica o ar com luz ultravioleta e carvão UTFPR/Imagem cedida De acordo com a estudante Julia Martins, o purificador de ar foi criado por uma equipe da área de engenharia mecânica e tem o objetivo de eliminar o vírus que passa pelo equipamento com a luz ultravioleta.

"Ele tem uma ventoinha na parte interior que suga o ar para dentro, que passa em um espiral por uma luz ultravioleta.

Essa luz ultravioleta tem a capacidade de desativar o vírus.

Por fim, o ar passa por um filtro de carvão ativado, que retém as impurezas maiores e sai pela parte superior filtrado." Após a maratona, ganhando o prêmio final ou não, a equipe pretende dar continuidade ao projeto e buscará ajuda de patrocinadores. "A gente quer levar o projeto para frente.

Agora ainda mais, pois conseguimos ficar entre os 40 finalistas, então dá um ânimo a mais, mas precisamos buscar uma iniciativa para ajudar a gente, como investidores", contou Julia.

Jogo digital propõe uma jornada de autoconhecimento UTFPR/Imagem cedida O outro grupo de alunos conta com seis integrantes das áreas de engenharia mecânica da UTFPR, além de estudantes de outras instituições nas áreas de software, administração, design gráfico e análise de sistemas.

O projeto da equipe consiste em um jogo digital, em que um personagem se submete ao isolamento social. A ideia é de que o jogador associe o que ocorre com os astronautas em uma missão no espaço e o que está acontecendo no mundo provocado pela pandemia.

"A ideia seria ser uma pessoa na terra que acabou de descobrir que surgiu essa pandemia no mundo e nisso você tenta avisar uma pessoa que está no espaço.

É uma jornada introspectiva de autoconhecimento, de mostrar a força que você tem consigo mesmo.

Pois quando você consegue informar a outra pessoa de tudo que aconteceu, você percebe que você e a outra pessoa são a mesma pessoa.

Basicamente você se ajudou", explicou a estudante Margot Oliveira. Os alunos explicaram que para a criação do jogo tiveram como base um dos artigos da Nasa, sobre o isolamento dos astronautas do espaço, que trata sobre os cuidados psicológicos dos profissionais isolados. Initial plugin text Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.