Estimativa da entidade é que o faturamento do turismo brasileiro seja retomado aos mesmos patamares de 2019 no terceiro trimestre de 2023.

O Turismo tem sido um dos setores mais impactados pela crise provocada pelo surto de Covid-19. Fábio Arruda / Colaboração A Confederação Nacional do Comércio de Bens Serviços e Turismo (CNC) estima que o setor do turismo desde o início da pandemia perdeu R$ 121,97 bilhões.

Nesse período entre março e maio, a associação também cita a perda 275 mil postos formais de trabalho.

A expectativa da CNC é que o faturamento do setor volte ao nível pré-pandemia somente no terceiro trimestre de 2023.

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), 275,7 mil postos formais de trabalho foram perdidos nos subsetores de alojamento e alimentação fora do domicílio, responsáveis pela maior parte da ocupação no setor do turismo.

São Paulo e Rio de Janeiro são os estados que concentram mais da metade do prejuízo nacional registrado.

Com perdas de R$ 43 bilhões e R$ 17 bilhões, respectivamente, decorrentes da diminuição no fluxo de passageiros nos principais aeroportos dos dois estados, segundo a CNC. Até o final de junho, o Aeroporto de Congonhas registrou queda de 90% dos passageiros e o Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) teve queda de 85%.