Famílias que tiveram o benefício suspenso estão recebendo o auxílio emergencial de R$ 600 durante a pandemia do novo coronavírus.

Mais de 24,5 mil famílias deixaram de receber o Bolsa Família em Rio Branco e secretaria adota teleatendimento Divulgação Durante a pandemia do novo coronavírus, a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Sasdh), em Rio Branco, disponibilizou atendimento telefônico para atender famílias cadastradas no CadÚnico e que tiveram o Bolsa Família suspenso para receber os auxílio emergencial.

Até dia 30 de junho, foram mais de 100 atendimentos. O auxílio emergencial de R$ 600 é pago pelo governo federal a informais, desempregados e famílias mais afetadas economicamente pela pandemia do novo coronavírus.

Os dados da secretaria ainda apontam 43 atendimentos que foram feitos de forma presencial, por meio de agendamento. A diretora de Assistência Social da capital, Regiani Cristina, informou ao G1 que em Rio Branco mais de 25,5 mil famílias recebem o Bolsa Família, porém, com o auxílio emergencial mais 24,5 famílias deixaram de receber o Bolsa Família e algumas delas enfrentaram dificuldades para acessar o novo benefício. “Esses mais de 24 mil tiveram o Bolsa Família suspenso até enquanto durar o auxílio emergencial.

Muitas famílias acabaram sendo prejudicadas por falta de atualização no cadastro.

Foi uma das demandas que mais tivemos nesse período”, contou. Regiani explico que nesse período não existe o bloqueio do benefício, o que não gera tantos atendimentos, mas os que foram feitos até o final de junho são referentes a problemas relacionados ao cadastro.

Quem tem o cadastro no CadÚnico e que se enquadra no perfil, recebeu o auxílio emergencial de forma automática, porém o cadastro deve ser atualizado a cada dois anos. “Nós informamos sempre à família que a cada dois anos tem que atualizar e quando altera qualquer informação do cadastro é obrigatório procurar o município.

Nasceu criança, ou morreu alguém, separou, alguém saiu de casa ou mudou de endereço, aumentou ou diminuiu a renda você tem o que se chama de alterações cadastrais e é obrigado a fazer isso, só que nem sempre as famílias fazem e nesse processo muitos foram prejudicados”, acrescentou. A central de atendimento telefônico da Sasdh foi reforçado para atender famílias cadastradas no CadÚnico.

O contato pode ser feito através do 0800 642 2081 e 3211-2080, nos quais a população pode consultar, se informar e receber orientações sobre o Bolsa Família e o CadÚnico. Teleatendimento para o Bolsa Família atende beneficiários em Rio Branco Arquivo pessoal Auxílio no Acre Dados divulgados no início desta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que pouco mais de 87 mil acreanos tiveram renda mensal domiciliar per capita de apenas R$ 52,66 em maio.

Dentre estes, 27,7 mil não receberam o Auxílio Emergencial. Ao todo, foram beneficiados 118,7 mil lares no estado do Acre, o que corresponde a 50,4% do total.

Considerando a população, o IBGE aponta que 57,5% vivem em um dos lares que receberam o valor. Prefeitura começa a testar moradores de bairro para pesquisa sobre a Covid-19 na capital