Xu Zhangrun, que é professor de Direito, publicou ensaios criticando o presidente chinês sobre sua gestão da pandemia e seus esforços para consolidar seu poder.

As autoridades chinesas prenderam, nesta segunda-feira (6), um professor de Direito que publicou ensaios, criticando o presidente Xi Jinping sobre sua gestão da pandemia do coronavírus e seus esforços para consolidar seu poder. Xu Zhangrun, um dos escassos críticos públicos do governo chinês, foi levado de sua casa, na periferia de Pequim, por mais de 20 pessoas, relatou um de seus amigos, que pediu para não ser identificado. Em fevereiro, Xu publicou um ensaio, criticando a cultura de engano e censura de Xi, após o surgimento do coronavírus na China. Imagem de arquivo mostra presidente chinês, Xi Jinping, em centro de controle de doenças e prevenção de Chaoyang, em Pequim Liu Bin/Xinhua via AP O professor de Direito da Universidade de Tsinghua, uma das mais importantes instituições acadêmicas do país, já tinha criticado em 2018 a abolição do limite nos mandatos presidenciais.

O texto circulou na Internet. O amigo disse que uma pessoa, que dizia ser um policial, telefonou para a esposa de Xu - que vivia em outra residência da universidade - para lhe informar que ele havia sido detido por, supostamente, solicitar o serviço de prostituição na cidade de Chengdu, ao sudoeste do país. Xu visitou Chengdu no inverno passado com vários colegas.

O amigo de Xu garante que as acusações contra o professor são "ridículas".