Eu não conheço outro versículo mais recitado, pregado e amado do Antigo Testamento que não seja o Salmo 23.

1.

Vejamos algumas Traduções:“O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará.

” (ARC)“O Senhor é o meu pastor; nada me falta.

” (KJA)“O Senhor é o meu pastor; de nada terei falta.

” (NVI)“O Senhor é o meu pastor; nada me faltará.

” (ARA)“מִזְמֹ֥ור לְדָוִ֑ד יְהוָ֥ה רֹ֝עִ֗י לֹ֣א אֶחְסָֽר׃” (Old Testament Leningrad Text)Primeiro passo para uma boa hermenêutica (ciência, técnica que tem por objeto a interpretação de textos religiosos ou filosóficos, esp.

das Sagradas Escrituras) de um texto é aplicarmos uma boa exegese (comentário ou dissertação que tem por objetivo esclarecer ou interpretar minuciosamente um texto ou uma palavra).

Tomemos o versículo no original hebraico:אֶחְסָֽרלֹ֣ארֹ֝עִ֗ייְהוָ֥הלְדָוִ֑דמִזְמֹ֥ורEh-sarloroiYehav(Jeová)L’DavidMiz-mo-wrFaltaráNãoAmigo ÍntimoAdonaide DavidCânticoA verdadeira tradução do Salmo 23.

1 então ficaria assim:“Adonai (Meu Deus) amigo íntimo não faltará.

”Davi aplica a palavra רֹ֝עִ֗י (Roi = Rea = Amigo) porque do verso 1 ao 4 ele se compara como uma ovelha e do 5 ao 6 ele passa a habitar na Casa do Senhor, o sentido de Pastor é uma metáfora.

As traduções não estão “erradas”, mas nos “induzem” ao erro, uma vez que ao fazermos a interpretação do texto em lide entendemos que, o fato de o Senhor ser o nosso pastor, não deixará faltar a nossa subsistência cotidiana.

Porém é muito clara a perícope no original.

O que não faltará, para aqueles que são amigos íntimos do Senhor, não são as “coisas” efêmeras e passageiras desta vida, mas a Sua Inefável Presença.

A construção da frase no hebraico é bem simples.

É tão verdade que se invertermos o sentido do Salmo a significação é a mesma:“Não me faltará o amigo íntimo, meu Deus”Agora podemos compreender que o verdadeiro significado do Salmo 23.

1 é exatamente o contrário do muitos tem pregado, ensinado e ouvido durante tantos anos.

É uma interpretação muito egoísta aquela que diz: “O Senhor é o meu Pastor e nada me faltará“, pois nos leva a acreditar que o fato de sermos cristãos nunca padeceremos escassez de nada.

É uma ideia difícil até de se sustentar diante de tantas dificuldades por que passaram os heróis do Antigo e Novo Testamento.

“Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.

Tudo posso naquele que me fortalece.

” Fp 4:12 e 13 (Grifo meu) Veja que Paulo passou fome e necessidades, porém foi sustentado pela presença do Senhor.

Aquele que o fortalece é a razão de seu sustento e vitória.

O alimento e os bens lhe faltaram, mas o “Amigo Íntimo, o Senhor Adonai e Aquele que o Fortalece não lhe faltou”, e ainda  2 Co 12.

7-10:“E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar.

Acerca do qual três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim.

E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.

De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo.

Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo.

Porque quando estou fraco então sou forte.

” (Grifo meu)Uma tradução mais coerente para a nossa língua portuguesa poderia ser:“Ainda que as circunstâncias desta vida me privem de todas as coisas, não sentirei falta de nada, porque o Senhor, meu amigo Íntimo não faltará, Ele estará sempre comigo”A ênfase do versículo 1 não está na providência das coisas materiais, mas na presença constante do Senhor ao lado daqueles que n’Ele confiam, ainda que tudo lhes falte.

A bem da verdade, se o Eterno, Soberano Senhor e nosso Amigo Íntimo está conosco não sentiremos mais falta de NADA.

Que o Senhor te abençoe e te guarde.