Segundo a polícia, o Ministério Público pediu a prisão preventiva devido à gravidade do crime e identificação de “coronelismo”.

Prefeito de Ubaporanga, Gilmar de Assis Rodrigues (Cidadania) Prefeitura/Divulgação O prefeito de Ubaporanga (MG), Gilmar de Assis Rodrigues (Cidadania), foi preso nesta sexta-feira (29) suspeito de tentativa de homicídio contra o presidente da Câmara Municipal, Jorge Siqueira de Rezende (PV). Segundo a Polícia Civil, um Juiz de Direito havia determinado uma medida de isolamento entre suspeito e vítima, porém o Ministério Público entrou com o pedido de prisão preventiva devido à gravidade do crime e a identificação de “prática de coronelismo em pleno século 21”.

O prefeito foi detido no prédio da prefeitura. A polícia disse ainda que o inquérito está em andamento e não descarta a necessidade de outras prisões.

Desavenças políticas Vídeo mostra veículo batendo no carro do presidente da Câmara de Ubaporanga Nessa quinta-feira (28), a Polícia Civil informou que o prefeito irá responder poder tentativa de homicídio.

Ele teria perseguido o parlamentar e atirado contra ele por desavenças políticas.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Luiz Eduardo Gomes, o vereador estava em um carro e passou próximo a um bar, quando o prefeito entrou em um outro veículo dando início à perseguição. Imagens de um circuito de segurança mostraram que em um momento da perseguição, o vereador reduziu a velocidade para tentar entrar em uma rua, porém o veículo em que o prefeito estava bate na traseira do carro do presidente da câmara. Um terceiro carro aparece nas imagens seguindo os outros dois veículos.

De acordo com o delegado, ele pertence aos irmãos do prefeito. “Os três veículos atravessaram a cidade de Ubaporanga sentido à BR-116, e próximo a uma fazenda o prefeito Gilmar efetua disparos contra o vereador Jorginho”, explicou. O delegado informou que no local foram recolhidos dois estojos de munição de calibre 9mm.

A arma, que estava com a numeração raspada, foi apreendida. O prefeito será encaminhado para o Ceresp da Gameleira, em Belo Horizonte.

O G1 tentou entrar em contato com a defesa do Chefe do Executivo, mas até a última atualização desta matéria não tivemos retorno. Veja mais notícias da região em G1 Vales de Minas Gerais.