Primeira morte pela Covid-19 foi confirmada no município; prefeitura informou, nesta terça-feira (26), que quatro famílias com casos confirmados participaram do encontro religioso.

A Secretaria Municipal de Saúde de Quitandinha, na Região Metropolitana de Curitiba, informou nesta terça-feira (26), que suspeita que um culto evangélico tenha ajudado a proliferar o novo coronavírus em uma região da cidade. A primeira morte pela Covid-19 no município foi confirmada na segunda-feira (25), pelo boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Uma mulher de 43 anos morreu pela doença. Dados da Sesa apontam 25 casos de coronavírus em Quitandinha.

A secretaria municipal informou que o número de casos é de 27. Conforme a prefeitura, do total de casos confirmados, 18 deles foram registrados entre quatro famílias da comunidade Pangaré Velho, que participaram do culto evangélico, há duas semanas. CORONAVÍRUS NO PARANÁ: Veja as principais notícias DÚVIDAS: Perguntas e respostas sobre o assunto BEM AQUI: RPC tem plataforma com estabelecimentos e serviços que estão atendendo A secretária de saúde de Quitandinha, Caroline Przybylok, disse que a prefeitura realizou orientações aos moradores.

Segundo ela, o distanciamento social e os cuidados para a realização dos eventos religiosos já era recomendados quando a celebração religiosa foi feita. Segundo a prefeitura na data em que foi realizado o culto, as celebrações religiosas não estavam proibidas na cidade.

"A gente veio pedir a conscientização das pessoas.

A prefeitura tem trabalhado em prevenção, principalmente com medidas emergenciais para a comunidade que está mais afetada", ressaltou a secretária. Decretos Um decreto, assinado pela prefeita Maria Julia Wojcik (PSDB), na segunda-feira, determinou condições e horários específicos de funcionamento do comércio, do setor de serviços e de templos religiosos na cidade. Com a decisão, o comércio deve abrir de segunda-feira a sábado, devendo fechar às 17h.

O decreto também prevê que os cultos religiosos e missas podem ser realizados em todos os dias da semana, até o mesmo horário, obedecendo as normas de segurança em saúde determinadas pela Sesa e pelo município. Outro decreto, assinado na sexta-feira (22), reconheceu situação de emergência para a região do Pangaré Velho.

A medida proíbe reuniões e celebrações religiosas no bairro. Initial plugin text Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.