Eles foram autuados por estupro de vulnerável.

Conforme polícia, jovem teria consumido bebidas alcoólica e drogas.

Uma menina de 15 anos morreu em um motel em Novo Hamburgo, Região Metropolitana de Porto Alegre, na madrugada de quinta-feira (13), conforme a Polícia Civil.

Segundo o médico que atendeu o chamado, apos análise preliminar, ela teria morrido de overdose.

Somente a perícia irá atestar a causa do óbito.

Dois homens, de 30 e 26 anos, que acompanhavam a menina, foram presos.

Conforme o delegado que atendeu a ocorrência, Rogério Baggio, eles foram autuados por estupro de vulnerável, uma vez que houve relação sexual com a vítima, após ela ter bebido e usado drogas.

Ainda de acordo com o delegado, quando a menina começou a passar mal, os homens acionaram a portaria do motel.

“Vendo que era uma situação grave, já que ela começou a convulsionar, o Samu foi acionado”, diz.

Quando a ambulância chegou, cerca de 10 minutos depois, a menina estava em óbito.

Segundo o relato dos suspeitos, a vítima marcou o encontro com eles por mensagens de celular.

“Eles foram buscar ela e uma amiga em Lomba Grande, mas quando chegaram, estava só ela”, diz o delegado.

No caminho eles teriam comprado bebida alcoólica.

Ainda há uma divergência de informações quanto ao proprietário das drogas que a vítima consumiu.

“A amiga que era para ter ido junto ao encontro disse que a vítima não tinha drogas.

Os suspeitos dizem que também não era deles e que ela já fazia uso dentro do carro”, conta.

As imagens das câmeras de segurança do motel, que fica localizado no bairro São Jorge, cerca de 200 metros da RS-239, mostram apenas uma pessoa, o motorista, entrando no local.

“Os homens confirmaram que chegando no local, a menina e um deles se esconderam no banco de trás”, diz.

Não havia marca de violência no corpo da vítima.

“Apenas o nariz sangrava, consequência do uso de drogas”, relata o delegado.

Ainda de acordo com Baggio, outros crimes serão investigados pela Delegacia da Mulher, como o fornecimento das drogas.

Os nomes dos envolvidos não foram divulgados.