Resultado representou uma desaceleração em relação a 2018, quando o fluxo avançou 7,3%.

O transporte aéreo global de passageiros, medido em receita por passageiro por quilômetro, ou RPK, na sigla em inglês, cresceu 4,2% no ano de 2019, de acordo com a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata).

A entidade reúne as 290 maiores empresas de aviação do mundo, que juntas respondem por 82% do tráfego aéreo mundial. O resultado representou uma desaceleração em relação a 2018, quando o transporte aéreo de passageiros cresceu 7,3%.

E foi o primeiro ano, desde 2009, que a demanda de passageiros ficou abaixo da média histórica de crescimento anual, de 5,5%.

Um avião decola durante o amanhecer no aeroporto internacional de Frankfurt, na Alemanha Michael Probst/AP A capacidade oferecida pelas companhias aéreas em assentos por quilômetro (ASK, na sigla em inglês) aumentou 3,4%.

A taxa média de ocupação dos voos teve incremento de 0,7 ponto percentual, para 82,6%.

No ano anterior, a taxa média de ocupação era de 81,9%. “As companhias fizeram bem em manter um crescimento constante no ano passado em meio a vários desafios”, afirmou em comunicado Alexandre de Juniac, presidente da Iata.

O executivo citou a economia fraca, a desaceleração no comércio global, tensões políticas e geopolíticas como fatores de pressão para o setor aéreo.

O aterramento dos aviões da Boeing 737 Max, por outro lado, contribuiu para que as empresas ajustassem a frota à demanda mais fraca, tendo como resultado o aumento da ocupação nos voos. Para o diretor-geral da Iata, Alexandre De Juniac, companhias aéreas enfrentaram desafios no ano passado Em dezembro, o tráfego de passageiros no mundo cresceu 4,5%.

A oferta de assentos avançou 2,1%.

A taxa média de ocupação dos voos aumentou em 1,9 ponto percentual, para 82,3%.

Na América Latina, o tráfego de passageiros cresceu 4,2% em 2019.

A oferta de assentos aumentou 2,9% e a taxa de ocupação teve alta de 1 ponto percentual, para 82,6%.

De acordo com a Iata, a deterioração do ambiente macroeconômico na região e o aumento dos conflitos sociais e políticos em alguns mercados importantes impediram um desempenho mais forte da região.

Mercados domésticos Considerando apenas voos dentro de cada país, o tráfego de passageiros cresceu 4,5% no mundo.

A oferta de assentos em voos domésticos no mundo aumentou 4,1%.

A taxa de ocupação aumentou 0,4%, para 83,7% em 2019. No Brasil, o transporte de passageiros cresceu 0,4% em 2019.

A oferta de assentos por quilômetro caiu 1,4% no país.

A taxa de ocupação avançou 1,5 ponto percentual, para 82,7%.